terça-feira, 10 de maio de 2016

Dicas de Leitura - Primeiras linhas

Selecionamos algumas obras famosas pelas primeiras linhas do texto para as dicas de leitura de maio: 1984 , O apanhador no campo de centeio, Cem anos de solidão, Dom Quixote, Ensaio sobre a cegueira, O Jardim do diabo, Moby Dick e O tempo e o vento.
Há quem escolha livros pelo assunto, pela sinopse, pelo título, pela capa, por indicação da biblioteca, da mídia, de amigos, etc., mas muitas vezes são as primeiras linhas do texto que fazem com que o leitor decida se a leitura é de seu interesse ou não. Para as dicas de leitura de maio, selecionamos algumas obras cujas primeiras linha se consagraram e fazem com que o leitor queira prosseguir até o fim do livro... mas, como diz a terceira lei de Ranganathan, o pai da Biblioteconomia, “Para cada livro o seu leitor”. Veja se algum destes é o seu!


1984 - George Orwell
Era um dia frio e luminoso de abril, e os relógios davam treze horas. Winston Smith, queixo enfado no peito no esforço de esquivar-se do vento cruel, passou depressa pelas portas de vidro das Mansões Victory, mas não tão depressa que evitasse a entrada de uma lufada de poeira arenosa junto com ele.

O apanhador no campo de centeio - J.D. Salinger

Se querem mesmo ouvir o que aconteceu, a primeira coisa que vão querer saber é onde nasci, como passei a porcaria da minha infância, o que os meus pais faziam antes que eu nascesse, e toda essa lenga-lenga tipo David Copperfield, mas, para dizer a verdade, não estou com vontade de falar sobre isso. Em primeiro lugar, esse negócio me chateia e, além disso, meus pais teriam um troço se contasse qualquer coisa íntima sobre eles. São um bocado sensíveis a esse tipo de coisa, principalmente meu pai. Não é que eles sejam ruins — não é isso que estou dizendo — mas são sensíveis pra burro.

Cem anos de solidão - Gabriel García Márquez
Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo. Macondo era então uma aldeia de vinte casas de barro e taquara, construídas à margem de um rio de águas diáfanas que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome e para mencioná-las se precisava apontar com o dedo.

Dom Quixote - Miguel de Cervantes
Desocupado leitor: sem juramento meu embora, poderás acreditar que eu gostaria que este livro, como filho da razão, fosse o mais formoso, o mais primoroso e o mais judicioso e agudo que se pudesse imaginar. Mas não pude eu contravir a ordem da natureza, que nela cada coisa engendra seu semelhante. E, assim, o que poderá engendrar o estéril e mal cultivado engenho meu, senão a história de um filho seco, murcho, antojadiço e cheio de pensamentos díspares e nunca imaginados por ninguém mais, exatamente como quem foi engendrado num cárcere, onde toda a incomodidade tem assento e onde todo o triste barulho faz sua habitação?

Ensaio sobre a cegueira - José Saramago
O disco amarelo iluminouse. Dois dos automóveis da frente aceleraram antes que o sinal vermelho aparecesse. Na passadeira de peões surgiu o desenho do homem verde. A gente que esperava começou a atravessar a rua pisando as faixas brancas pintadas na capa negra do asfalto, não há nada que menos se pareça com uma zebra, porém assim lhe chamam. Os automobilistas, impacientes, com o pé no pedal da embreagem, mantinham em tensão os carros, avançando, recuando, como cavalos
nervosos que sentissem vir no ar a chibata.

O jardim do diabo - Luis Fernando Veríssimo
Me chame de Ismael e eu não atenderei. Meu nome é Estevão, ou coisa parecida. Como todos os homens, sou oitenta por cento água salgada, mas já desisti de puxar destas profundezas qualquer grande besta simbólica. Como a própria baleia, vivo de pequenos peixes da superfície, que pouco significam mas alimentam. Você talvez tenha visto alguns dos meus livros nas bancas. Todo homem, depois dos quarenta, abdica das suas fomes, salvo a que o mantém vivo. São aqueles livros mal impressos em papel jornal, com capas coloridas em que uma mulher com grandes peitos de fora está sempre prestes a sofrer uma desgraça.

Moby Dick - Herman Melville
Chamem-me simplesmente Ismael. Aqui há uns anos não me peçam para ser mais preciso —, tendo-me dado conta de que o meu porta-moedas estava quase vazio, decidi voltar a navegar, ou seja, aventurar-me de novo pelas vastas planícies líquidas do Mundo. Achei que nada haveria de melhor para desopilar, quer dizer, para vencer a tristeza e regularizar a circulação sanguínea. Algumas pessoas, quando atacadas de melancolia, suicidam-se de qualquer maneira. Catão, por exemplo, lançou-se sobre a própria espada. Eu instalo-me tranquilamente num barco.

O tempo e o vento - Érico Veríssimo
‎Era uma noite fria de lua cheia. As estrelas cintilavam sobre a cidade de Santa Fé, que de tão quieta e deserta parecia um cemitério abandonado. Era tanto silêncio e tão leve o ar, que se alguém aguçasse o ouvido talvez pudesse até escutar o sereno na solidão. Agachada atrás dum muro, José Lírio preparava-se para a última corrida. Quantos passos dali até a igreja? Talvez uns dez ou doze, bem puxados. Recebera ordens para revezar o companheiro que estava de vigia no alto duma das torres da Matriz.


Consulte o nosso catálogo online para saber em quais bibliotecas estão disponíveis estes e outros livros. Veja também a lista das bibliotecas pelas regiões de São Paulo.

Os temas das dicas de leitura são escolhidos ao acaso, levando-se em conta o número expressivo de exemplares disponíveis nas bibliotecas.

terça-feira, 19 de abril de 2016

BIBLIOTECA BELMONTE INSCREVE PARA A OFICINA "DANÇA DAS AIABÁS"

.




A atividade faz parte do projeto "Pejí tí Iyámí - Altar de Minha Mãe" contemplado pelo VAI -  Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais da Secretária Municipal de Cultura. 
Tem como fim a autopercepção do feminino no indivíduo e a habitação do espaço pela arte ritual através da pesquisa sobre as divindades femininas do candomblé. Compõem a oficina: as danças dos Orixás, danças brasileiras, canto, ritmo, mitologia (Itan) e processos colaborativos de improvisação.  Com Vinicius Alves. Serão 8 encontros: Terças-feiras, de 10 de maio a 28 de junho, das 14 às 18h.  
Inscrições abertas pelo email: quilombo.contato@gmail.com ou pessoalmente,  na Biblioteca Belmonte até o dia 30/04/2016.




BIBLIOTECA BELMONTE
Rua Paulo Eiró, 525 -
Santo Amaro - 04752-010
Tel: (11) 5687 0408 e (11) 5691 0433
E-mails: bmbelmonteculturapopular@yahoo.com.br
bmbelmonte@yahoo.com.br  
Facebook 

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Programação cultural de abril da Biblioteca Menotti Del Picchia


Revista eletrônica da biblioteca

Rua São Romualdo, 382
Bairro do Limão - 02557-060 - São Paulo, SP
Tel.: 11 3966-4814 e 11 3950-0657
Horário: 2ª a 6ª feira das 8h às 17h e sábado das 9h às 16h
bmmenottidelpicchia@yahoo.com.br


http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/upload/revista_eletronica_menotti_capa_1460040931.jpg http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/upload/revista_eletronica_menotti_abril16_1460040991.pdf

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

UMA SEMANA DE GRANDES ATRAÇÕES NA BIBLIOTECA BELMONTE










SHOW COM MÚSICA E DANÇA





FLOR DA AROEIRA - TAMBOR DE CRIOULA  - A proposta do Tambor é ir além da apresentação ou do espetáculo e oferecer uma vivência da cultura popular para o público onde não há espectadores. A roda é um convite, um espaço aberto para compartilhar conjuntamente da música e da dança trazida pelos integrantes. Artistas e público unem-se e confundem-se para constituir a força da roda no ritmo da batida do tambor, do canto coletivo e da dança feminina. Dia 25/02, quinta, às 19h.

 
TEATRO DE MAMULENGO
FOLIA BRASILEIRA NA PRAÇA - Valdeck de Garanhuns.  O espetáculo, que arremata a fala do mestre com a alegria e a fantasia do teatro de mamulengo, apresenta uma verdadeira festa na fazenda do Coronel Vicente Pompeu, intitulada “Folia Brasileira”, onde desfilam várias manifestações da cultura popular tais como: bumba-meu-boi do Maranhão e de Pernambuco, coco de embolada, pelejas de repentistas, ciranda,maracatu, frevo e forró.  Após o espetáculo, o mestre sua equipe ficam à disposição do público para um pequeno bate-papo e para que as pessoas possam apreciar melhor o material exposto, inclusive a barraca e os bonecos do espetáculo.  O espetáculo "Folia Brasileira na Praça" foi contemplado pelo Prêmio Zé Renato - 2ª Edição. Dia 25/02, quinta-feira, 14h30. 


TEATRO INFANTIL


PINTORES DE SONHOS – Cia. Burucutu  Em meio à opressão de um povo que vive um resto de guerra, na Russia dos anos 50, dois pintores de parede, na adorável companhia de “Amaral”, um canário belga russo, contornam rotina de trabalho criando situações lúdicas e colorindo com alegria as paredes de um prédio. Tudo vira magia quando descobrem, dentro deste prédio, um museu de artes. Tarsi e Silas resolvem entrar no museu e acabam se deparando com grandes obras de Tarsila do Amaral e se questionam sobre a diferença entre um pintor de paredes e um pintor de quadros. Dia 27/02, sábado, 11h




CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS 


TARDE DE CONTAÇÃO E MÚSICA COM SABINO LOPES.  Sabino Lopes recebe, no auditório Kiyomi Oba, com muita alegria, música e contação de histórias, grupos de escolas infantis.  As crianças se divertem, aprendem e interagem com suas histórias divertidas e músicas contagiantes.  Participação especial: Gabriel Lopes.  LIVRE. Dia 26/02, sexta, às 14h30.



CINEMA INFANTIL
OS SMURFS - The smurfs, EUA, 2011, 103 min, dublado, DVD - Direção: Raja Gosnell - Quando o maligno feiticeiro Gargamel persegue os Smurfs até fora de sua aldeia, eles são forçados a entrar em um portal que liga seu mundo ao nosso, e desembarcam no meio do Central Park, em Nova York. Livre – Dia 27/02, sábado.  11h


SHOW












SARAU SERTANEJO – Todo último sábado do mês, grupos de viola caipira e cantoria se encontram no tradicional sarau sertanejo da Belmonte. O público canta, faz poesia matuta, propõe músicas e interage com os cantores e apresentadores. Organização: Paula Dundee;  Apresentação: Guarani; Apoio: Dorinha Sant’Anna.  LIVRE. Dia 27/02, sábado, às 15h.




EXPOSIÇÕES

VISAGENS - VISÕES COMUNS, VISÕES SUBLIMES: Exposição  é composta por xilogravuras feitas por Ernesto Bonato a partir de retratos também realizados pelo artista, de pessoas que circulam, trabalham ou moram no entorno da biblioteca. A exposição homenageia a arte popular na figura de homens e mulheres comuns, depositários e vivificadores da cultura brasileira. Exposição permanente no saguão da Biblioteca.

DIÁLOGOS ENTRE TÉCNICAS E GERAÇÕES - EXPOSIÇÃO DA PRODUÇÃO DE XILOGRAVURA DOS ALUNOS DA BELMONTE: Exposição dos trabalhos dos alunos dos cursos de xilogravura em várias técnicas, realizado de fevereiro a dezembro de 2009, coordenado pelos professores artista Eduardo Ver e Ezequiel. Na Sala de Oficinas.

VISITAS MONITORADAS – A biblioteca recebe grupos previamente agendados para conhecer o acervo e a Sala de Cultura Popular. Agendamento pelo  telefone 5687-0408.    







BIBLIOTECA BELMONTE
Rua Paulo Eiró, 525 -
Santo Amaro - 04752-010
Tel: (11) 5687 0408 e (11) 5691 0433
E-mails: bmbelmonteculturapopular@yahoo.com.br
bmbelmonte@yahoo.com.br  
Facebook



sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Destaques da semana - de 12 a 18 de fevereiro

O pequeno Nicolau, Zôo-ilógico, Oficina de escrita criativa e festa de um ano do Calendário Geek.


CINE-LITERATURA

O pequeno Nicolau
Le petit Nicolas, Franças, Bélgica, dublado, DVD
Direção: Laurent Tirard. Elenco: Maxime Godart, Valérie Lemercier, Kad Merad.
Nicolau leva uma vida tranquila. Um dia ele ouve uma conversa entre os pais e passa a acreditar que sua mãe está grávida. Livre
Dia 17 de fevereiro às 14h - Biblioteca Hans Christian Andersen


CIRCUITO SP DE CULTURA
zoô-ilogico, Cia Truks


Zôo-ilógico
Zôo-ilógico traz para os palcos uma idéia aparentemente simples, mas de fundamental importância para as crianças: o estímulo ao processo criativo! A partir de simples objetos do cotidiano, desfilam pela cena mais de uma dezena de divertidas e inusitadas criaturas animadas. Tudo começa quando pai e filho resolvem fazer um piquenique no Zoológico. Ao encontrarem as portas do parque fechadas, o pai não se intimidará em criar, com muita criatividade e um certo nonsense, o seu zoológico particular, um presente ao filho, em que bichos serão feitos de pratos, panos, garrafas, talheres e tudo o mais que estiver ao alcance de suas mãos. As nada comuns criaturas viverão situações cômicas ou poéticas. Estará criado o Zôo-ilógico, possível na imaginação de todos. E Aberto, sempre!
Dia 13 de fevereiro às 11hBiblioteca Belmonte
Dia 14 de fevereiro às 11hBiblioteca Álvares de Azevedo
Dia 17 de fevereiro às 14hBiblioteca Mário Schenberg


PROGRAMA VEIA E VENTANIA


Você sabe o que é Literatura Periférica? Literatura Periférica é um movimento literário propagado pelos diversos saraus espalhados pela cidade e que valoriza o escritor da periferia, o escritor que está vivo, que é seu vizinho, seu parça... Você, que escreve sobre a realidade que te cerca!

Oficina de escrita criativa
Com os Poetas do Tietê
Dia 13 de fevereiro às 14h - Biblioteca Afonso Schmidt


FESTA DE UM ANO DO CALENDÁRIO GEEK


A Biblioteca Viriato Corrêa, ponto de encontro de nerds e geeks, receberá uma programação intensa pelo aniversário do Portal Calendário Geek. A comemoração inclui palestras, episódios de séries, painéis, sorteios de brindes e espaço para exposição de escritores e fã-clubes.
calendário Geek
Dia 13 de fevereiro a partir das 11h - Biblioteca Viriato Corrêa

11h - Painel Calendário Geek (Luciano Marzoocca)
11h30 - Exibição do episódio "Star Trek: The doomsday machine"
12h25 - Painel Diário do Capitão (Thiago A. Maldonado)
13h - Exibição do episódio "Star Trek: The neutral zone"
13h55 - Painel Mundo Nerd/Pastel Nerd/Kris Klaus (Mauricio Muniz)
14h30 - Exibição do episódio "Buffy: Once more with feeling"
15h25 - Painel ENPE (Roosevelt Garcia)
16h - Exibição do episódio "Twilight zone: The invaders"
16h50 - Painel Andros Editorial/Em contexto (Edson Rossatto)
17h20 - Exibição do episódio "How I met your mother: No pressure"

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

BIBLIOTECA BELMONTE TRAZ HISTÓRIA DE SANTO AMARO NA OCASIÃO DE SEU ANIVERSÁRIO




Por ocasião do 464º aniversário de Santo Amaro a Biblioteca Belmonte traz a história do bairro nos mais variados registros: reprodução de fotos, livros, revistas antigas, artigos de jornal, poemas e, até, letras de músicas. 


SANTO AMARO DE ANTIGAMENTE      

  





A Biblioteca Belmonte está organizando reproduções de fotos antigas da história do bairro, selecionadas pela funcionária Maria Luiza Rocha e pela Jovem monitora Cássia Rosário, que estarão expostas na mostra "Santo Amaro de Antigamente" no saguão da biblioteca.   De 15 a 30 de janeiro de 2016.














Exposição temática Conhecendo Santo Amaro



Uma mostra bibliográfica, contento livros, revistas, poemas e cópias de artigos de jornais contendo histórias sobre Santo Amaro, organizada pela jovem monitora Jovem Monitora Cultural Cássia Rosario que pode ser conferida na sala circulante da Biblioteca Belmonte. De 15 a 30 de janeiro de 2016.















































BIBLIOTECA BELMONTE
Rua Paulo Eiró, 525 -
Santo Amaro - 04752-010
Tel: (11) 5687 0408 e (11) 5691 0433
E-mails: bmbelmonteculturapopular@yahoo.com.br
e bmbelmonte@yahoo.com.br